Segurança: O que o Google sabe sobre você?

Estava eu aqui, estudando, quando me cai o tópico de Futuro da Web. Ok. Fui pesquisar um pouco sobre e achei o site google.com/dashboard que diz praticamente tudo que o Google sabe da sua vida. Descobri 2 blogs antigos, um site que não sabia da existência, achei TODOS os lugares que já fui e muitos históricos. Me impressionou? Não. E vou te dizer porque vou continuar deixando ele saber tudo.

Ao clicar nesse site e logar com sua conta do Google, se você tiver um smartphone Android, provavelmente muitos dados como os locais que você visitou, que horas ficou, quando e como foi (carro, a pé, ônibus) aparecerão. Esses dados podem ser desativados. Você pode simplesmente dizer para o Google parar de stalkear sua vida. Mas os meus, prefiro manter ativos por um motivo: segurança.

Como uma boa carioca, sei muito bem o que é sair de casa com medo. Sentir medo de assaltos, sequestros, e tudo de ruim que costuma acontecer na Cidade “Maravilhosa”. Sabendo que o meu celular é rastreado o tempo todo e possui informações valiosas como até mesmo quais lojas visitei no shopping, vejo apenas mais benefícios do que malefícios em deixar o Google fazer esse serviço.

Por exemplo, agora ele sabe exatamente que estou escrevendo pro meu blog, no domínio jessicamachado.com.br, direto da minha casa, em um Chrome, às 14:59h de uma terça-feira de outubro. Mas e se algo de ruim acontecer comigo (deus me dibre)? E se meu celular for roubado?

Bom, é só acessar o histórico. É bem provável que dê pra saber onde estou ou onde meu celular se encontra. A que horas. O endereço com número. Talvez até me mande uma foto do Google Maps Street View. Se ainda tiver um pouco mais de sorte e burrice por parte do bandido, capaz de aparecer algumas fotos dele e áudios que meu celular resolveu gravar.

A gente sabe que o propósito desses recursos não é esse. Mas talvez para mim seja. O que o Google faz com tanta informação nossa, afinal? Personaliza nossa navegação, nos traz anúncios de pousadas quando estamos em um aeroporto, por exemplo. Quem sabe, mais coisas ainda, com o intuito de nos conhecer melhor do que nós mesmos para algum motivo capitalista de experiência do usuário.

Isso não é de todo tão ruim. Pra quem tem consciência limpa, não precisa se preocupar tanto. E para os que se assustam com o avanço tecnológico e a transparência quase impossível de evitar de nossas vidas, bom, talvez dê para olhar isso como uma proteção. Infelizmente o meu motivo é bem ruim para manter algo ligado 24h no meu pé: a falta de segurança que o meu governo me dá e a sensação de proteção que o Google pode me oferecer, quando na verdade, esse nem é o trabalho dele.

Para quem quer saber mais sobre como se proteger de assaltos, já existem aplicativos antifurto que permitem controlar nossos smartphones remotamente. Eles são capazes de enviar sinais ao celular, tirar fotos, apagar dados, bloquear o celular e enviar localização. Alguns deles são: Kaspersky Internet Security, Prey Anti-Theft, Wheres My Droid, Android Lost, Cerberus. Lembrando que a própria Apple consegue rastrear seu iPhone pelo site apesar de não ter tantos recursos como esses apps.

Relacionados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *